Promovendo inovação em escala

Mudar nunca é fácil. E propor mudanças dentro de um setor como o da co
Alexandre Frankel*

nstrução civil e imobiliária ganha uma dimensão de desafio maior.

Vivemos isso em nossa empresa, e sempre acreditei que, ao mudar um ambiente ou desafiar o status quo dos processos construtivos, estamos trilhando caminhos e pavimentando modos de fazer, antes impossíveis de imaginar.

Foi assim com minha empresa e estamos engajados no setor, propondo uma nova forma de pensar a habitação. Não me refiro só à inovação, mas falo de levar às pessoas que atuam na construção civil a capacidade de propor a diferença quando se vive, diuturnamente, esse setor. Nosso desafio é refletir o modo de construção e o jeito de morar. As pessoas estão mudando a forma e os anseios na hora de pensar onde ou como vão morar nos próximos anos.

Há dez anos essa preocupação faz parte dos meus dias, mas sei que a mudança só vai ser completa se tivermos o compromisso de transformação também para o setor. Por isso me engajei no Secovi-SP. Quero mostrar que há empresas e empreendedores com as mesmas angústias.

E foi por isso que criamos no Secovi-SP o MoviMente: para aproximar startups com soluções criativas e setor imobiliário. O propósito é de renovação para o nosso mercado. Fazer a conexão de startups e seu DNA inovador com as empresas, promovendo diálogo entre o antigo, o novo e a transformação tão necessária para os negócios. Queremos atender os clientes de forma assertiva e apresentar produtos e serviços conectados às atuais necessidades.

Foi assim na primeira edição em 2017, quando tivemos 75 inscrições de startups do Brasil e até de Portugal, e quando consideramos que a ideia mais inovadora foi a Justto, um sistema de resolução inteligente de conflitos em condomínios; em segundo lugar, a Flatmatch, que se propôs a localizar imóveis ideais, com gestão de contas; e em terceiro lugar a MagiKey, uma plataforma de automação de recepção e portarias em prédios corporativos.

Na segunda edição do MoviMente, em 2018, tivemos as inscrições de 126 startups, e a LoopKey – um sistema de gestão de acesso para prédios residenciais e corporativos foi considerada a mais inovadora (transforma o celular em chaveiro digital); seguida pela Nama – inteligência artificial e automação de processos para administração de imóveis entre outros serviços; e a Lean Survey, que é um sistema de pesquisa de mercado com otimização de coleta de dados.

Já no MoviMente de 2019, convidamos alguns hubs de inovação - Acate, Cietec, Construliga, EnRedes, Liga Ventures, MitHub, Okara Hub, TerraCotta Ventures – para nos ajudar na escolha e na análise dos projetos. Encerramos com os três finalistas: a Prevision, startup de Santa Catarina, que viabiliza o controle de canteiro de obras por aplicativo; a também catarinense rede de franquias Programa Doce Lar, que se especializou em transformação de ambientes e reformas de edificações dirigida ao público de baixa renda; e a startup mineira IM Designs, focada em desenvolvimento de soluções completas de realidades artificiais.

As mudanças são necessárias, mas precisam ser decorrentes de reflexões e alternativas coletivas, pois só assim conseguimos preparar o terreno para buscar soluções e produzir disrupção da forma adequada.

*Vice-presidente de Novas Tendências do Secovi-SP

16 de janeiro de 2020

 

Voltar


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas