Institucional

Feirão Morar Bem, Viver Melhor ofereceu 25 mil imóveis


No evento, que foi até domingo, 22/10, servidores públicos ativos e inativos do Estado de São Paulo e famílias beneficiadas com o auxilio moradia da CDHU puderam fechar negócio no local
Subsídios vão de R$ 5 mil a R$ 40 mil

Durante a abertura na manhã do dia 20/10, no São Paulo Expo Imigrantes, Rodrigo Garcia, secretário Estadual de Habitação, ressaltou a importância da iniciativa pioneira do governo do Estado de realizar a segunda edição do Feirão Morar Bem, Viver Melhor, que se tornou instrumento de política habitacional de São Paulo e meio de ativar a economia da construção civil, além de apoiar aqueles que não têm casa própria a adquirir a moradia. “O primeiro feirão fez um sucesso tão grande, com quase 800 apartamentos vendidos e quase 800 famílias atendidas, que ampliamos o evento, com a oferta de 25 mil imóveis, dos quais, oito mil só na Capital. Isso significa mais opção de compra”, enfatizou.

O Feirão é destinado a todos as pessoas que pretendem comprar um imóvel. Além dos bons preços, elas são beneficiadas com a gratuidade da documentação de compra. Aos servidores públicos ativos ou inativos do Estado de São Paulo e às famílias que recebem auxílio moradia da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) são oferecidos o cheque-moradia, subsídios que variam de R$ 5 mil a R$ 40 mil. “Grande esforço do governo para criar esse benefício a fundo perdido. O imóvel traz mudança real na vida das famílias”, disse o secretário.

“Nada disso seria possível sem o empenho firme do governo do Estado. São Paulo compreende a necessidade de priorizar a moradia para famílias de baixa renda. Que o Feirão sirva de exemplo e possa inspirar a criação de uma política habitacional perene para o País”, disse José Romeu Ferraz Filho, presidente do SindusCon-SP.

Carlos Borges, vice-presidente do Secovi-SP, na ocasião representando o presidente da entidade Flavio Amary, falou da importância dada pelo governador Geraldo Alckmin ao setor imobiliário como vetor de desenvolvimento econômicos e social do Estado.

"Imóvel muda a vida das famílias", Rodrigo Garcia

Borges disse que a preocupação em oferecer subsídios aos servidores públicos e beneficiários do auxílio-moradia mostra o esforço orçamentário do governo neste momento de recuperação econômica. “É importante investir na construção civil e imobiliária por seu poder gerador de empregos diretos e indiretos. A cada R$ 1 milhão investidos na construção civil, são gerados 22 postos de trabalho – 14 diretos e oito indiretos –, e isso faz uma grande diferença. Confiamos em excelentes negócios e agradecemos ao governo estadual, à Caixa e às entidades parceiras na realização do feirão e deste esforço conjunto.”

Luiz Antônio França, presidente da Abrainc (Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias), reiterou a palavra de todos e falou da sua satisfação pessoal em participar pela primeira vez do evento. O dirigente falou da relevância da moradia e da importância do feirão. “É uma iniciativa grandiosa neste momento de retomada da confiança e da economia brasileira. É um passo no sentido de reduzir o déficit habitacional.”

Nelson de Souza, vice-presidente da Caixa, aproveitou para elogiar a competente e inovadora política habitacional do Estado de São Paulo, e também a importante parceria mantida com Secovi-SP, SindusCon-SP e Abrainc. “Participamos da construção do Feirão como agente financeiro único, mesmo no cenário de limitação dos recursos orçamentários do ano passado. Para esta edição, tivemos o cuidado de separar recursos para atender todos que buscarem imóveis no feirão. Basta escolher, fazer a análise de crédito, a contratação e sair com o imóvel próprio”, resumiu.

Governador compara Secovi-SP ao grande craque Pelé

O governador Geraldo Alckmin lembrou que São Paulo é o único estado brasileiro que investe 1% do ICMS arrecadado em moradia – o correspondente a R$ 1,5 bilhão por ano. “Imóvel é sonho e direito. Este feirão é oportunidade e estímulo para a compra, principalmente pelo cheque-moradia, que é subsídio a fundo perdido. São R$ 45 milhões para isso e se for necessário mais algum recurso, o Rodrigo Garcia pode raspar o fundo do tacho”, disse, fazendo referência à possibilidade de ampliar os subsídios.

Sobre a parceira da Abrainc, Secovi-SP e SindusCon-SP, Geraldo Alckmin comparou as entidades a Pagão, Pelé e Pepe, “o maior ataque da história do Santos”, arrancando risos da plateia.

O Feirão Morar Bem, Viver Melhor aconteceu até domingo, 22/10, no São Paulo Expo Imigrantes (Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5, São Paulo-SP).

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP

Comente essa notícia


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas