Institucional

Nova faixa do Minha Casa, Minha Vida vai estimular o setor


Medida também vai ampliar o número de famílias atendidas pelo programa. Anúncio do governo foi bem recebido pela diretoria do Secovi-SP 
Presidente Michel Termer anunciou as medidas.                   Foto: Guilherme Kardel

O governo federal anunciou na tarde desta segunda-feira, 6/2, em Brasília, medidas de ampliação do atendimento do Programa Minha Casa, Minha Vida. A intenção do governo é criar uma agenda positiva para o setor da construção civil e estimular a retomada do mercado imobiliário.

Dentre as medidas anunciadas, está o aumento do limite da faixa 3, que passa de R$ 6,5 mil para atender famílias com renda de até R$ 9 mil. Os limites das demais faixas foram corrigidos pela inflação e ficaram definidos dessa forma: faixa 1,5 sai de R$ 2,3 mil e vai para R$ 2,6 mil; e a faixa 2 sai de R$ 3,6 mil para atender famílias com renda de até R$ 4 mil.

O valor máximo dos imóveis que podem ser financiados pelo Minha Casa, Minha Vida também subiu, e varia de acordo com a localidade. No Distrito Federal, em São Paulo e no Rio de Janeiro, o teto passará de R$ 225 mil para R$ 240 mil. Nas capitais do Norte e Nordeste, o limite subirá de R$ 170 mil para R$ 180 mil.

O presidente da República Michel Temer disse que “há sinais” de que o crescimento econômico do Brasil seja retomado “já no começo do ano”. “Tenho certeza que, com a valiosa contribuição de todos, vamos derrotar a recessão, retomar o crescimento e gerar emprego. O governo tem coerência, o povo tem força e o Brasil tem rumo”, disse o presidente.

Ministro Bruno Araújo                        Foto: Guilherme Kardel     

Novidades - As mudanças nas regras do Minha Casa, Minha Vida visam ampliar o atendimento de famílias. “Mais pessoas poderão comprar o imóvel. A ampliação do limite da faixa 3, por exemplo, vai trazer para dentro do programa aquelas famílias que foram prejudicadas com a brutal queda de arrecadação da caderneta de poupança nos dois últimos anos, e que ficaram desassistidas”, ressaltou Rodrigo Luna, vice-presidente de Habitação Econômica do Secovi-SP, que participou da cerimônia de anúncio das medidas, em Brasília.

“Com esse incentivo, a recuperação do mercado imobiliário nacional pode iniciar no segundo semestre deste ano”, apostou Luna.

As medidas foram aprovadas hoje cedo pelo Conselho Curador do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Autor: Assessoria de Comunicação do Secovi-SP 

Comente essa notícia


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi Condomínios
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas