Incorporação

Novos empreendimentos residenciais e comerciais devem prever sistema de recarga para carros elétricos


Medida vale para a cidade de São Paulo e consta da Lei nº 17.336/2020, que entrou em vigor no dia 31/3
Edifícios novos terão de prever sistema de recarga para carros elétricos

Novos projetos de empreendimentos residenciais e comerciais apresentados para aprovação na Prefeitura de São Paulo deverão prever um sistema de recarga para carros elétricos ou híbridos.

A exigência atende ao disposto na Lei municipal nº 17.336/2020, que entrou em vigor no dia 31/3. A exigência vale somente para novas edificações, exceto aquelas enquadradas em programas de habitação de interesse social, como o Casa Verde e Amarela, por exemplo. Empreendimentos em fase de obras e condomínios já existentes estão dispensados de cumprir o que determina a nova legislação.

A lei não define número mínimo de pontos de recarga por vagas de garagem, nem a instalação de tomadas nas vagas de garagem. O empreendedor deve prever sistemas de recarga, que sejam gerenciados por softwares que otimizam a demanda, por exemplo com rodízio pelos moradores. “A medição de consumo de energia deve ser individualizada para não gerar conflitos entre os condôminos”, explica Carlos Borges, vice-presidente de Tecnologia e Sustentabilidade do Secovi-SP.

Apelo mundial - A nova legislação municipal atende a uma tendência mundial, de acordo com Borges. “Os carros elétricos ainda representam muito pouco da frota total de veículos. Na Europa, por exemplo, eles são 3% do total e no Brasil menos de 1%. Mas é inexorável o crescimento desse meio de locomoção pelas cidades de todo mundo”, destaca o dirigente.

“Nesse sentido, as incorporadoras terão de se adaptar a essa realidade, prevendo as demandas necessárias de energia em cada um de seus novos empreendimentos”, diz Borges.

Esta legislação teve a participação ativa do Secovi-SP, no sentido de mostrar aos legisladores a inviabilidade de oferecer uma tomada individual por vaga de garagem em todos os empreendimentos, inclusive os populares, como previa o texto original do então projeto de lei do vereador Camilo Cristófaro (PSB).

Carlos Borges concedeu entrevista sobre o assunto para o Podcast Facility Manegement Sem Mistérios, que pode ser acessado pelas plataformas Spotify e Apple Podcast.

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • UniSecovi