Institucional

Secovi-SP assina termo de acordo de cooperação com a Prefeitura


O documento oficializa a parceria do Sindicato da Habitação para reurbanizar a região central de São Paulo
Crédito Foto: Heloisa Ballarini/Secom

Nesta terça-feira, 26/9, o escritório de arquitetura Jaime Lerner apresentou à Prefeitura de São Paulo o projeto Centro Novo, que está sendo elaborado com o intuito de modernizar e promover uma profunda mudança urbanística na região central da cidade.

A elaboração desse projeto faz parte de termo de acordo de cooperação técnica assinado pelo Secovi-SP, na pessoa de seu presidente Flavio Amary, com a prefeitura da Capital.

Requalificação – Tornar a cidade mais amigável, oportuna e atrativa para a população é o objetivo central do projeto de orientação para a requalificação do centro de São Paulo, por meio de intervenções urbanas e reforço dos atributos simbólicos e históricos locais. “A partir da construção de edificações e da mudança de uso de imóveis já existentes, haverá o resgate da vocação residencial do Centro”, ressaltou Amary.

O projeto prevê ações urbanísticas na área tradicional do Centro e nas regiões do Parque Dom Pedro, Mercado Municipal, Luz, Praça Júlio Prestes, Santa Cecília, Arouche, República e Praça Roosevelt.

Longo prazo – Segundo o prefeito João Doria, o projeto será executado pelo poder público com a participação da iniciativa privada. “Nós estamos praticamente há cinco meses desenvolvendo esse trabalho, que envolveu várias áreas da prefeitura”, disse.

Crédito foto: Heloisa Ballarini/Secom 

A secretária municipal de Urbanismo e Licenciamento, Heloisa Proença, destacou a importância da contribuição técnica do arquiteto e urbanista Jaime Lerner, um dos maiores conhecedores de requalificação de grandes centros urbanos do País. “A sua competência, certamente, dará ao trabalho em desenvolvimento a grandiosidade e a qualidade compatíveis com a importância histórica, simbólica e afetiva que a região central da cidade tem para todos nós”, disse.

Circular centro – O projeto recomenda, como elemento articulador do projeto urbanístico, a implantação de um novo modal de transporte, o “Circular Centro”, moderno e amistoso, que interligará os principais equipamentos e marcos referenciais do centro, como Pinacoteca, Sala São Paulo, Theatro Municipal e as galerias comerciais, com toda rede de transportes do entorno (ônibus, trens e metrô).

O projeto prevê a criação de bulevares centrais planejados com tratamento urbanístico completo, melhoria de calçadas, arborização, iluminação, acessibilidade e mobiliário urbano.

Esses bulevares têm o objetivo de orientar o adensamento construtivo e populacional proposto, acrescentando novas edificações e dando novos usos aos edifícios já existentes aumentando, assim, o número de habitações em edificações mistas – prédios que abrigam, ao mesmo tempo, comércios e residências, garantindo vida e movimento de dia e também à noite, colaborando com a superação do maior problema da área central, que é o esvaziamento noturno de suas ruas, a partir do encerramento das atividades já instaladas na região.

O modelo de solução urbana e de planejamento proposto pelo projeto está alicerçado na integração de pessoas, moradia, trabalho e mobilidade, ou seja, no planejamento para a melhoria da qualidade de vida, com fim nas pessoas.

Paulo Kawahara explicou o projeto                            Crédito: Heloisa Ballarini/Secom

“O planejamento com respeito à evolução histórica confere racionalidade ao desenvolvimento do tecido urbano”, opinou Claudio Bernardes, presidente do Conselho de Gestão da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento e também do Conselho Consultivo do Secovi-SP.

O arquiteto Paulo Kawahara explicou que o projeto Centro Novo apresenta características típicas da assinatura do escritório Jaime Lerner Arquitetos Associados, do qual ele faz parte. Essas especificidades são: projeto voltado para a escala humana, adensamento ao longo dos eixos de transporte e adoção do uso misto, com solução de superfície (rede de ônibus e de transporte público); desenvolvimento da cultura ambiental e na sua relação com os espaços urbanos, a “acupuntura urbana”, que permite solucionar problemas de drenagem, preservar o patrimônio histórico, integrar classes sociais e desenvolver a relação de “pertencimento”.

Autor: Assessoria de comunicação - Secovi-SP (com informações da Prefeitura de São Paulo)

Comente essa notícia


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas