Institucional

Segurança jurídica do projeto e o novo marco regulatório da cidade 


Este é o tema do Seminário AsBEA que será realizado no dia 4/10. Marcelo Terra, advogado do Conselho Jurídico da presidência do Secovi-SP, é um dos palestrantes
Evento será no dia 4/10

Com coordenação da arquiteta urbanista vice-presidente da AsBEA e sócia titular do escritório Levisky Arquitetos | Estratégia Urbana, Adriana Levisky, o Seminário tem por objetivo transmitir conhecimento, estimular reflexões e debate sobre questões fundamentais que envolvem o conjunto recém revisado de legislações municipais relativas às normas urbanísticas e edilícias que já está em vigor e, portanto, define as regras e diretrizes atuais para a elaboração e aprovação de projetos na cidade de São Paulo.

O novo arcabouço legal a ser considerado por parte dos projetistas durante o exercício profissional está expresso e consolidado no novo Código de Obras, Lei 16.642/17, que entrou em vigor no último dia 10 de julho com a edição do Decreto 57.776/17 e do Decreto 57.815/17 seguida pela publicação, no dia 21 de julho, da Portaria da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento - SMUL 221/17.

O Decreto 57.776/17 versa sobre os procedimentos administrativos e executivos, além de especificar regras gerais a serem observadas nos projetos de licenciamento protocolados na Prefeitura de São Paulo. Já a Portaria SMLU 221/17, estabelece a documentação necessária a ser apresentada em todos os projetos protocolados, além dos documentos específicos para cada tipo de alvará, como os de aprovação, execução, projeto modificativo e cadastro de equipamentos, por exemplo. Nesta Portaria estão incluídos os modelos de declaração e os quadros de áreas da edificação, que estabelecem metragem quadrada para cada área, assim como os padrões de apresentação dos “projetos simplificados” para a instrução dos pedidos relacionados à atividade edilícia.

Iniciado pela aprovação da Lei 16.050/14, Plano Diretor Estratégico, passando pela Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo, Lei 16.402/16, até chegar ao processo de aprovação do novo Código de Obras, Lei 16.642/17, este conjunto de leis altera significativamente procedimentos administrativos, parâmetros urbanísticos e condições de instalação. Somado, ainda, ao processo também recente de revisão da NBR 9050/15 - Norma de Acessibilidade, de aprovação da Lei 13.146/15 - Lei Brasileira de Inclusão e da NBR 15.575/13 - Norma de Desempenho, este arcabouço de legislações e normas trazem à tona a necessária reflexão a respeito das práticas projetuais, envolvendo questões relativas à segurança jurídica dos escritórios de arquitetura; dos escopos de contrato; dos custos de projeto e da prevalência entre restrições normativas e legais nas diversas instâncias: municipal, estadual e federal.

“A partir desta revisão legislativa, a cadeia da construção civil deverá se reorganizar e requalificar suas relações jurídicas e comerciais. Ao reunir os profissionais projetistas neste seminário, a AsBEA tem por intuito transmitir conhecimento fundamental à necessária reflexão e avaliação sobre os aspectos técnicos, jurídicos e comerciais que envolvem questões afetas à elaboração, aprovação e contratação de projetos, e suas devidas responsabilidades técnicas”, esclarece Adriana Levisky, vice-presidente da ASBEA e arquiteta urbanista sócia titular do escritório Levisky Arquitetos | Estratégia Urbana que coordena a realização do Seminário Do novo Código de Obras aos novos ajustes na Lei de Zoneamento: onde fica a segurança jurídica do projeto?.

Serviço:

"SEMINÁRIO AsBEA: Do novo Código de Obras aos novos ajustes na Lei de Zoneamento: onde fica a segurança jurídica do projeto?"

Data: 4/10/2017 - quarta-feira;
Horário: 8 às 18 horas;
Local: Sede da Fecomercio – Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 3º andar – Bela Vista – São Paulo/SP.

Programação completa e inscrições onlineClique Aqui

AsBEA - Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura é uma entidade independente, composta e dirigida pelos escritórios de arquitetura e urbanismo associados. Conta também com a associação de empresas fornecedoras de produtos e de serviços do setor de arquitetura e construção civil, como colaboradoras. Através da participação em grupos de trabalho, seminários, conferências e encontros sociais/profissionais, seus associados trocam experiências e identificam os pontos de interesse comuns para poder qualificá-los, representá-los e divulgá-los perante às instituições públicas ou privadas, ao mercado e ao público em geral.

Adriana Levisky é arquiteta urbanista sócia titular do escritório Levisky Arquitetos | Estratégia Urbana, sediado na cidade de São Paulo/Brasil, é vice-presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura - AsBEA, conselheira do Conselho Municipal de Política Urbana de São Paulo - CMPU e do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável - CBCS. Levisky Arquitetos | Estratégia Urbana pauta-se na elaboração de soluções e ações estratégicas relacionadas às questões urbanísticas e edilícias, à estruturação legal e estratégica de empreendimentos complexos, à elaboração de projetos urbanos e institucionais (hospitais, escolas, museus) e à viabilização de interlocuções e modelos de cooperação público-privados. 

 

Autor: Pitanga Comunicação 

Comente essa notícia


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas