Locação

Valor do aluguel residencial sobe 0,30% em janeiro


No período acumulado de 12 meses, entretanto, houve variação negativa de 0,21%
    Mifano: "adequação às atuais condições macroeconômicas e do mercado"

As locações residenciais na cidade de São Paulo registraram alta de 0,30% em seus valores na comparação com o mês de dezembro de 2017. Considerando, no entanto, o acumulado dos últimos 12 meses (fevereiro de 2017 ao primeiro mês deste ano), a variação foi de -0,21%, menor do que a verificada nos 12 meses imediatamente anteriores (fevereiro de 2016 a janeiro de 2017), que foi de 0,69%.         

“O que notamos desde o final do 4º trimestre do ano passado é que os aluguéis voltaram a ter comportamento mais próximo da variação do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), índice que registrou variação negativa de 0,41% nos últimos 12 meses. Este comportamento demonstra uma adequação às atuais condições macroeconômicas e do mercado”, analisa Rolando Mifano, vice-presidente de Locação e Gestão Patrimonial do Secovi-SP.

Analisando o comportamento dos valores por tipologia, os imóveis com 1 dormitório foram os que tiveram os maiores aumentos (+0,5%), seguidos pelos de 3 dormitórios (+0,4%) e os de 2 quartos (+0,1).

Metodologia

A Pesquisa de Locação Residencial é elaborada pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação) e visa a monitorar o comportamento do mercado de  aluguéis na capital paulista. As informações estão disponibilizadas em valores por m² (área privativa de apartamentos e área construída de casas e sobrados) e estão organizadas em oito grandes regiões: Centro; Norte; Leste (dividida em duas: zona A – que corresponde à área do Tatuapé à Mooca; zona B – outros bairros dessa área geográfica, como Penha, São Miguel Paulista etc.); Oeste (segmentada em duas: zona A – Perdizes, Pinheiros e vizinhanças; zona B – bairros como Butantã e outros); Sul (dividida em duas sub-regiões: zona A – Jardins, Moema, Vila Mariana, dentre outros; zona B – bairros como Campo Limpo, Cidade Ademar etc.).

Velocidade de Locação

O IVL (Índice de Velocidade de Locação), que avalia o número de dias que se espera até que o contrato de aluguel seja assinado, indicou que o período de ocupação foi de 17 a 44 dias. Os imóveis alugados mais rapidamente foram as casas e os sobrados: 17 a 42 dias. Os apartamentos tiveram um ritmo de escoamento mais lento: 23 a 49 dias.

Em relação às garantias locatícias mais utilizadas, o fiador lidera com 46%. O depósito caução e o seguro fiança são as demais alternativas acertadas entre locadores e locatários, com participação de 37% e de 17% dos contratos, respectivamente.

Vila Prudente

Mensalmente, a Pesquisa Locação Residencial do Secovi-SP analisa dados históricos dos valores negociados por bairros. Neste mês, a região analisada é a Vila Prudente. De acordo com a pesquisa, os imóveis, em bom estado de conservação, com vaga de garagem e que foram contratados em janeiro nesse bairro registraram valor médio por metro quadrado de R$ 26,85 para 1 dormitório; R$ 22,09 para 2 dormitórios e de R$ 20,29 as residências de 3 quartos.

A variação dos valores de locação residencial acumulada no período fevereiro de 2012 a janeiro de 2018 na região foi de 43,1% para os imóveis de 1 dormitório, de 6,1% para os imóveis de 2 dormitórios e de 20,1% para as residências de 3 dormitórios.

Confira a íntegra da Pesquisa de Locação.

Autor: Assessoria de Comunicação do Secovi-SP

Comente essa notícia


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas