ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO

 

 

Sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015.

 

 

Da assessoria da 2ª Secretaria

 

 

A Alesp instituiu um comitê para análise de alternativas ao enfrentamento da crise hídrica. O grupo, que será formado por um parlamentar de cada partido, deverá, com a participação da sociedade civil, buscar propostas que permitam ao Poder Legislativo oferecer sua contribuição ao esforço coletivo realizado a fim de se reduzir o consumo de água. A iniciativa será acompanhada pelo deputado Edmir Chedid (DEM) que, entre as medidas anunciadas, destacou a perfuração de poços profundos que deverão suprir a demanda do Palácio 9 de Julho. Ele afirmou que o consumo per capita do prédio (38 litros por dia) está abaixo da média de edifícios comerciais (50 litros) por conta de programas de uso racional da água. “A economia gerada de 40 mil m³ ao mês dará uma folga ao sistema Cantareira equivalente ao consumo de até mil casas populares. Mas para que o processo de licitação tenha início, foi estabelecida parceria com o DAEE, responsável pela outorga de poços”, disse. Entre outras propostas em estudo está a captação de água da chuva, que seria destinada a um reservatório de 10 mil litros. Essa água, que não apresenta qualidade para ser considerada potável, seria destinada à limpeza do prédio e à irrigação dos jardins. “Existem ainda outras medidas que o Legislativo está adotando há mais de uma década. Desde 2004, a Alesp integra o Programa Uso Racional de Água da Sabesp”, completou. echedid@al.sp.gov.br  

 

 

Fonte: Assembleia Legislativa de São Paulo 

]]>