Incorporação

Apartamentos ganham protagonismo em Rio Preto


Thiago Ribeiro, diretor regional do Secovi-SP em São José do Rio Preto, trata da mudança de perfil do mercado imobiliário em artigo assinado
São José do Rio Preto ganha mais apartamentos que casas

Há pouco, divulgamos estudo do primeiro trimestre deste ano com dados de lançamentos e vendas de imóveis novos na cidade de Rio Preto, desenvolvido pelo Secovi-SP e a Brain Inteligência Estratégica.

Empreendedores precisam mitigar riscos, e informações de qualidade e de inteligência de mercado nos dão suporte e confiança para tomar decisões empresariais mais assertivas.

Conforme apurado pelo estudo de mercado, no quarto trimestre do ano passado (outubro, novembro e dezembro), foram lançadas em São José do Rio Preto 2.068 unidades de imóveis residenciais horizontais, ou seja, casas. De janeiro a março deste ano, por sua vez, não houve qualquer lançamento desse tipo.

Analisando os dados, percebe-se um avanço dos lançamentos de imóveis verticais em Rio Preto que vem sendo registrado antes mesmo da pandemia.

Em 2019, foram lançados 1.091 apartamentos, quantidade que saltou para 2.369 unidades em 2020. Em 2021, as 3.318 unidades verticais lançadas corresponderam a um VGV (Valor Global de Vendas) superior a R$ 1 bilhão. Esse é um resultado inédito para Rio Preto. Agora, neste primeiro trimestre do ano, foram lançadas 859 unidades de apartamentos, distribuídas em quatro prédios.

O que esses números nos dizem?

O mercado imobiliário caminha para um período de estabilidade, mas em um patamar superior ao registrado antes da pandemia. Acreditamos em um crescimento em torno de 10% do nosso mercado.

Que mudou o perfil dos compradores de imóveis no município e que o empreendedor está pronto para atender a essa nova demanda. Isso explica também que o grande interesse por lançamentos de empreendimentos verticais resulta da baixa oferta de terra para a construção de casas na cidade.

No primeiro trimestre deste ano, as vendas totalizaram 902 unidades, com VGV de R$ 256,7 milhões. Como o volume comercializado superou a quantidade de unidades lançadas, percebemos o escoamento de imóveis em oferta (estoque).

Os dados representam apenas uma amostra do estudo realizado pelo Secovi-SP em parceria com a Brain. Porém, permitem comprovar o dinamismo de mercado na cidade, bem como seu potencial de expansão, principalmente no segmento de empreendimentos verticais, visto que 16% dos domicílios são deste tipo de imóvel.

O mercado imobiliário caminha para um período de estabilidade, mas em um patamar superior ao registrado antes da pandemia. Acreditamos em um crescimento em torno de 10% do nosso mercado.

Demanda, criatividade e disposição não nos faltam. Contudo, esse resultado está atrelado ao rumo das políticas públicas, ao controle da inflação e ao equilíbrio das taxas de juros.

Thiago Ribeiro é diretor regional do Secovi-SP em São José do Rio Preto

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • UniSecovi