Incorporação

Encontro Setorial discute planos de redução de Gases de Efeito Estufa


Realizado por Secovi-SP, Abrainc e SindusCon-SP, o evento teve o objetivo de estimular as incorporadoras e empresas da construção à produção dos inventários para mitigação de mudanças climáticas
Redução de Gases de Efeito Estufa (GEE) na construção civil

Secovi-SP, Abrainc e SindusCon-SP realizaram nesta terça-feira (19/7) Encontro Setorial com o objetivo de estimular as incorporadoras e empresas da construção civil à produção dos inventários de emissão de Gases do Efeito Estufa (GEE). Realizado em formato híbrido, o evento contou com a participação de 31 pessoas presencialmente e 53 assistiram de forma virtual.

Os palestrantes foram: Vladimir Iszlaji, Diretor de Desenvolvimento Urbano da ABRAINC; Francisco Antunes de Vasconcellos Neto, Vice-presidente do SindusCon-SP; Carlos Alberto de Moraes Borges, Vice-presidente de Tecnologia e Sustentabilidade do Secovi-SP; Antonio Teixeira, gerente Comercial e de Novos Negócios, Consultoria e Licitações na WayCarbon; Patrícia Bittencourt, Gestora de Projetos da VP de Tecnologia e Sustentabilidade do Secovi-SP; Lilian Sarrouf, Coordenadora Técnica do Comitê de Meio Ambiente do SindusCon-SP; e Vanessa Dias, Analista de Meio Ambiente do SindusCon-SP.

Planos Setoriais de Mitigação das Mudanças Climáticas

O Decreto Federal 11.075/2022, publicado em 19 de maio de 2022, estabeleceu os procedimentos para a elaboração dos Planos Setoriais de Mitigação das Mudanças Climáticas, e instituiu o SINARE - Sistema Nacional de Redução de Emissões de Gases de Efeito Estufa, que servirá como central única de registro de emissões, remoções, reduções e compensações dos gases de efeito estufa.

Neste contexto, diversos setores da economia, entre eles o da construção civil, no qual se enquadram incorporação e construção imobiliária, são convidados a estabelecer metas gradativas de redução de emissões de GEE, a fim de contribuir com as metas internacionalmente determinadas pelo Brasil (NDC) para a neutralidade climática em 2050.

O que apontaram os representantes do setor

Antonio Teixeira, da WayCarbon, apresentou o panorama do impacto do setor imobiliário para as mudanças climáticas. Ele enfatizou a necessidade e o principal desafio de eliminar por completo as emissões – zerar esse índice –, além de buscar matérias-primas que contribuam para a redução dos impactos.

Patricia Bittencourt, do Secovi-SP, abordou os aspectos regulatórios das Mudanças Climáticas no Brasil, e destacou as tendências mercadológicas e financeiras para a redução e eliminação de emissão a zero em 2050, bem como os riscos econômicos, sociais e políticos que os impactos das emissões têm causado.

Vladimir Iszlaji, da Abrainc, apresentou as diretrizes do trabalho setorial que será realizado para atendimento ao Decreto 11.075/2022, que tem como objetivo elaborar o maior número de inventários individuais de emissões. Estes inventários servirão para a definição de propostas para debate com o governo federal.

Lilian Sarrouf e Vanessa Dias, do SindusCon-SP, finalizaram as exposições com apresentação da plataforma CECarbon, Calculadora de Consumo Energético e Emissões de Carbono na Construção Civil, ferramenta que visa contribuir com a gestão climática e energética do setor da construção civil, a partir da padronização de métricas e consistência de dados entre empresas e os atores da cadeia produtiva.

A ferramenta gratuita, on-line e aderente à realidade das obras, possibilita as melhores escolhas de sustentabilidade desde a fase de projeto até o término da obra e atende totalmente a portaria do Ministério do Desenvolvimento Regional para o programa Casa Verde e Amarela.

Plano de ação

As entidades uniram-se e formaram o Comitê Estratégico de Mudanças Climáticas para traçar um plano de trabalho com as incorporadoras, construtoras e entidades com o objetivo de definir as metas setoriais.
 
Foi lançada pesquisa preliminar para contabilizar os números de incorporadoras e construtoras que já elaboram os inventários. Em um universo de 77 respondentes, apenas 26% já fazem o inventário. A pesquisa será ampliada para a identificação da maturidade do setor em relação à importância dos dados. É fundamental a adesão do maior número de empresas de incorporação e empresas de construção, pois são elas as responsáveis pelo fornecimento dos inventários que servirão de base para a definição das metas.
 
A partir disto, serão organizados os materiais necessários para estudos e alinhamento da produção de propostas para o Plano Setorial de Mitigação das Mudanças Climáticas da Construção Civil – setor de Edificações, que será apresentado aos órgãos governamentais.
 
Para tanto, foi solicitado que as empresas elaborem os inventários das obras utilizando a ferramenta CECarbon. Neste primeiro momento, preferencialmente deverão ser lançados os dados das obras que foram concluídas em 2021. Com possibilidade de lançar os projetos em andamento, caso as empresas já tenham as informações.
 
Também está disponível no site do SindusCon-SP curso on-line, que traz a contextualização sobre emissões, visão geral da ferramenta, usabilidade da ferramenta, entrada de dados e estudo prático: relatório, reportes e inventários. O curso é gratuito, com cinco horas e meia de duração, e permite o exercício prático de uso da ferramenta, com certificação.


Leia Mais

Encontro para discutir o Plano de Redução de Gases de Efeito Estufa (GEE)

Inventário de Gases do Efeito Estufa (GEE) na Incorporação Imobiliária

Autor: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP 


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Secovi Novos Empreendedores
  • UniSecovi