O presidente da Rede Secovi de Imóveis, Nelson Parisi Júnior, participou da 7ª Reunião Presencial da Alai (Aliança Latino-Americana de Associações Imobiliárias), de 16 a 18 de abril, em Córdoba, segunda maior cidade da Argentina. Além do Brasil e da Argentina, o mercado de imóveis da Colômbia esteve representado. 

No primeiro dia, foi feito um balanço das atividades realizadas nos últimos dois anos e a eleição do presidente e vice-presidente para o exercício de 2015-2017. No segundo, foi exposto um panorama do setor imobiliário argentino, com enfoque na atual situação econômica, política (eleição presidencial em outubro) e jurídica (mudanças nos códigos Civil e Comercial, com alterações profundas especialmente no direito de propriedade). 

“Não há financiamento imobiliário por lá, o que acaba restringindo o acesso de significativa parte da população à aquisição de um imóvel. Além disso, o mercado argentino é dolarizado, e, com uma inflação a 35% ao ano, a situação se torna ainda mais aguda”, comenta Parisi. Em março, Córdoba registrou a venda de apenas 10 imóveis novos. Para ter uma ideia do que esse número representa, no melhor momento do setor, há anos, a média de venda era de 180 unidades novas por mês. 

“Quando apresentamos os dados referentes ao mercado de São Paulo, mostrando que vendemos 21,6 mil unidades em 2014, e que isso, como se não bastasse, representa uma queda de 35,2% em comparação ao ano anterior, ficam todos surpresos”, completa o presidente da Rede Secovi, fazendo um paralelo entre a realidade discrepante entre os dois países.

O propósito da Alai é promover o intercâmbio e a troca de informações sobre o mercado imobiliário na América Latina, aproximando associações de empresas e seus profissionais. Nesse sentido, segundo Parisi, integrantes dessa Associação poderão ter a oportunidade de conhecer mais a fundo o setor brasileiro de imóveis durante a Convenção Secovi 2015. 

“Estamos tentando viabilizar a vinda de profissionais do continente aqui pra São Paulo, durante a Semana Imobiliária. Será, sem dúvida, uma rica troca de experiência e oportunidades para negócios em parceria.”