Coluna Secovi

Brasil está pronto para virar a página

Amary e os secretários Cláudio Carvalho e Rodrigo Garcia
na abertura da Convenção Secovi 2017

A Convenção Secovi, realizada de 26 a 29/8, foi encerrada em tom otimista. A maioria dos painéis apresentados sinalizou que vários segmentos que integram o setor imobiliário, como também o País, estão aderentes ao tema que batizou a edição deste ano: “Virando a Página”.

Na abertura oficial do evento, o presidente do Secovi-SP, Flavio Amary, afirmou que uma série de mudanças têm contribuído para a melhoria do cenário nacional. “Entramos em uma nova fase. O menor nível de inflação dos últimos 10 anos, permitiu substancial queda da taxa de juros, animando o setor produtivo a produzir e, mais importante, a empregar. Se analisarmos friamente a sucessão dos fatos, de 2016 para 2017, muitas viradas aconteceram”, afirmou.

Amary apresentou resumidamente algumas conquistas e os principais trabalhos realizados pelas vice-presidências da instituição, beneficiando as atividades imobiliárias, a coletividade e o desenvolvimento econômico.

Destacou, ainda, o firme posicionamento do Secovi-SP em relação a temas de interesse da Nação. “Nas grandes teses nacionais, não nos acovardamos. Apoiamos o ajuste fiscal, o teto para o gasto público, a terceirização e a modernização da legislação trabalhista. Agora, lutamos pela reforma da previdência e por uma reforma administrativa capaz encolher o tamanho do Estado.”

Desafios da economia brasileira - O economista Marcos Lisboa, diretor-presidente do Insper, afirmou que houve avanços importantes no que se refere aos ajustes fiscais. Porém, o problema do déficit público só será resolvido com uma mudança radical nos gastos públicos.

Lisboa defende a adoção de alíquotas tributárias comuns para todos os segmentos. Segundo ele, abriu-se temporariamente uma janela de desenvolvimento, mas para que este seja sustentável é preciso atacar as causas do déficit público. Ainda, que haja menor burocracia e maior segurança jurídica. “Como é possível aprovar e iniciar um edifício e, repentinamente, ser surpreendido por novas exigências? E a questão dos distratos? De onde saiu isso? Como devolver um dinheiro que já foi gasto no empreendimento? Em pelo menos 10 países, isso não existe e o desistente pode ainda ser processado por quebra de contrato”, enfatizou.

Mensagens - Cláudio Carvalho, titular da Secretaria Especial de Investimento Social e representante do prefeito João Doria na abertura dos trabalhos, reafirmou a firme disposição do governo paulistano de destravar a economia. “Não pode ser pecado empreender, ter lucro, empregar, pagar impostos. O permanente diálogo com o setor imobiliário segue esse raciocínio. Precisamos de mudanças para atrair investimentos e ampliar a oferta de postos de trabalho”, disse.

Em nome do governador Geraldo Alckmin, o secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia, fez uma retrospectiva das Convenções Secovi das quais participou. “Em 2015, o tema foi a Rosa dos Ventos do Setor Imobiliário, ou seja, o mercado se localizando para definir rumos; em 2016 o mote foi É Hora de se Reinventar, antecipando tendências. Agora, com o Virando a Página, percebemos a grande similaridade que todo o setor está vivendo e o que o Secovi-SP está fazendo para apoiar o segmento. O relato de Flavio Amary mostra um trabalho importante; poucas são as entidades que fazem isso de forma tão transparente”, assinalou.

A maratona de atividades termina hoje à noite, com a entrega do Prêmio Master Imobiliário, conferido pelo Secovi-SP e a Fiabci-Brasil, a partir das 19 horas, no Clube Atlético Monte Líbano.

*Flavio Amary  presidente do Secovi-SP

30 de agosto de 2017

Leia as colunas anteriores


  • Ampliar
  • Câmara de Mediação Secovi-SP
  • Certificação Digital
  • Geosecovi
  • Milenium
  • PQE - Programa Qualificação Essencial
  • Rede Imobiliária Secovi
  • Revista Secovi
  • Secovi Novos Empreendedores
  • Universidade Secovi-SP
  • Gentilezas Urbanas
  • Núcleo de Altos Temas